Comunicação entre pais e filhos: eles “só vão bem conversados”

É bem possível que você já tenha reparado que, dependendo de como lhe pedem as coisas, você tende a atender o pedido feito. Compare essas duas falas: 

FALA 1 – Ei, você aí, me passa o sal! 

FALA 2 – Com licença, poderia me passar o sal, por favor? 

A maneira como nos pedem as coisas faz toda a diferença: a FALA 2 nos deixa mais inclinados a passar o sal, não é mesmo? 

Com nossos filhos não é diferente! Qual dessas duas falas levará o seu filho a fazer o que você lhe pede? 

FALA 1 – ANDA LOGO, VAI ARRUMAR O SEU QUARTO, QUE EU NÃO SOU SUA BABÁ, OUVIU BEM? JÁ ESTOU CANSADA DE FAZER TUDO POR VOCÊ! QUANDO É QUE VOCÊ VAI APRENDER, EIN? 

FALA 2 – Filho, vem cá, que eu quero te pedir uma coisa. Senta aqui comigo. Olha, eu estou cansadíssima e preciso de você para dividir comigo as tarefas da casa. Dá pra você arrumar o seu quarto? 

Pois é, se você anda querendo que seu filho mude de comportamento, pode ser que você precise modificar a sua forma de se comunicar com ele. Assim como nós, os filhos “só vão bem conversados”, isto é, tendem a nos atender no contexto de uma boa conversa, em que são ouvidos e tratados com respeito. 

Há maneiras que atrapalham e outras que ajudam a comunicação entre pais e filhos.  

Quando a atitude dos pais é a de considerar que o problema está apenas no filho, isso se expressa na comunicação sob a forma de acusações, sermões (monólogos) ou ordem atrás de ordem. E o tom da fala dos pais tende a expressar irritação, impaciência e crítica. Os filhos podem reagir com indiferença (“entra por um ouvido e sai pelo outro”) ou com igual irritação e impaciência.  

Quando os pais conseguem ver a si próprios como parte do problema, começam a fazer parte da solução também. Isso vai aparecer na comunicação com os filhos sob a forma de diálogo, de expressão de sentimentos e expectativas. O tom de voz é mais baixo e conciliatório. Filhos criados com diálogo tendem a crescer com confiança em si e nos pais. 

Esse é um dos assuntos que a LM Família aborda com muita frequência porque a comunicação entre pais e filhos é essencial para um convívio familiar harmonioso, responsável e divertido. 

Se você quer aprofundar esse tema, clique aqui para baixar um infográfico exclusivo com as formas que ajudam e que atrapalham a comunicação entre pais e filhos.

Acompanhe-nos no Facebook e assine nosso canal no Youtube.

 

 

 

Heloisa Padilha é pedagoga e psicopedagoga, empreendedora de projetos inovadores em educação e tem focado sua atenção em orientação às famílias.